terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Conta de luz subirá 9,4% e até mais se economia crescer

O consumidor residencial terá que lidar com dois anos de reajustes da conta de luz bem acima da inflação devido às chuvas, insuficientes para compensar os períodos de seca, e ao aumento de encargos sociais. Na média, as tarifas devem fechar 2017 com alta de 14% e subir 9,4% em 2018. Ou ainda mais, se a retomada econômica prevalecer. Na média, a maior alta deve ser registrada na região Sul (10,7%), seguida pelo Sudeste (9,3%). Em São Paulo, por exemplo, a conta de luz deve fechar este ano 7% mais cara, subindo outros 9,1% em 2018, mesmo com as fortes chuvas no Sudeste. A energia elétrica deve responder por 0 ,4 ponto percentual de estimados 4% do IPCA no ano que vem. Encargos incluídos na tarifa também explicam as previsões. A conta que inclui todas as políticas públicas ligadas ao setor, como o programa Luz para Todos, deve passar de R$ 9,3 bilhões para R$ 12,6 bilhões. Especialistas descartam racionamento, mas alertam para eventuais efeitos da retomada, que demanda energia, nos preços. (Folha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário