terça-feira, 18 de setembro de 2018

Licuri para a Europa - Cooperativas baianas vão a evento na Itália

Representantes de nove cooperativas baianas estão de malas prontas para uma missão de peso: levar os sabores da Bahia para o Terra Madre, evento realizado em Torino, na Itália, que reúne produtores de alimentos de 160 países. Eles embarcam na próxima terça-feira (18) e pretendem retornar com muitas ideias para impulsionarem seus negócios. LEIA MAIS

Essas cooperativas foram convidadas pelo Slow Food, movimento responsável pela organização do Terra Madre, por possuírem práticas sustentáveis de produção, com o critério de “valorizar o alimento bom, limpo e justo”, filosofia do movimento. O alimento considerado bom é aquele saboroso, que representa os sabores locais; é cultivado de maneira limpa, sem prejudicar a saúde humana, o meio ambiente ou os animais e é justo de forma que o produtor receba aquilo que é justo pelo seu trabalho, garantindo-lhe uma renda favorável.

Para alcançarem esse patamar de qualidade, as cooperativas mudaram seus processos produtivos e se capacitaram através de apoio do Slow Food e da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). É o caso da Cooperativa de Produção da Região do Piemonte da Diamantina (Coopes), produtora de licuri e mel de abelha mandaçaia, que levará seus produtos para serem comercializados no Terra Madre. Atualmente, 210 agricultores fazem parte da cooperativa.

Frutos do campo

A Bahia é o estado com o maior número de propriedades da agricultura familiar do país - são cerca de 700 mil propriedades - e nos últimos três anos foram investidos R$ 1,2 bilhão na agricultura familiar. 

Somente em 2018, por meio do projeto Bahia Produtiva, da SDR, foram destinados R$ 40 milhões para adequação e recuperação de agroindústrias. Os investimentos permitem a ampliação da cooperativa, incluindo melhoria na infraestrutura, aquisição de equipamentos, veículo, serviços de marketing e desenvolvimento de novas embalagens. 

Além do Bahia Produtiva, os produtores contam também com recursos do Pró-Semiárido, que até o final de 2018 destinará R$ 170 milhões para organização comunitária, implantação e fortalecimento de agroindústrias e apoio à comercialização, visando a convivência produtiva das famílias.

Fotos: André Frutuôso/SDR
Secom - Secretaria de Comunicação Social - Governo da Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário