segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Rejeição a Bolsonaro cresce e concorrentes ampliam vantagem em eventual segundo turno

Rejeição a Bolsonaro cresce e concorrentes ampliam vantagem em eventual segundo turno
Foto: Reprodução / Revista Ceará
Embora mantenha a liderança nas intenções de votos (veja aqui), Jair Bolsonaro (PSL) é também líder de rejeição. Dos 2.804 eleitores ouvidos pelo Datafolha nesta segunda-feira (10), 43% dizem que não votariam de jeito nenhum no deputado federal. Esse número é ainda maior do que o registrado pelo candidato na pesquisa feita no dia 22 de agosto, antes de ele ser vítima de uma facada (saiba mais aqui), na última quinta (6).

Dados do levantamento mostram que a maior resistência contra Bolsonaro está nos eleitores do Nordeste, onde 51% afirmam jamais votar no deputado. Jovens (55%), mulheres (49%) e eleitores com curso superior (48%) também rejeitam o parlamentar.

Assim, Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT) ampliaram suas vantagens na simulação de um eventual segundo turno contra o candidato do PSL. Alckmin e Marina venceriam ele por 43% enquanto Ciro chegaria a 45%, de acordo com o levantamento. A pontuação de Bolsonaro oscilaria entre 34% e 37% das intenções de voto.

Provável candidato do PT, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, também venceria Bolsonaro por 39% a 38% dos votos. Mas como a pesquisa possui margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, os dois estão tecnicamente empatados nesse cenário.

Com grau de confiança de 95%, o levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o nº BR-02376/2018.

Nenhum comentário:

Postar um comentário