quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Justiça concede prisão domiciliar para professor de direito da Uneb suspeito de crimes sexuais; docente é escoltado para Salvador



A Justiça da Bahia concedeu prisão domiciliar para o professor de direito suspeito de crimes sexuais contra alunos da Universidade do Estado (Uneb). Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), o docente foi escoltado por policiais militares, na tarde desta terça-feira (16), até o imóvel onde cumprirá a decisão, em Salvador. O endereço não foi divulgado. 

Thiago Oliveira Moreira estava detido no 12° Batalhão de Polícia Militar (BPM), em Camaçari, na região metropolitana da capital, desde o sábado (13). O professor tinha um mandado de prisão preventiva em aberto e foi preso após se apresentar à polícia no local. 

O docente ensinava direito constitucional na Uneb, na cidade de Jacobina, no norte do estado. Ele foi afastado do cargo na quinta-feira (11), após a Justiça decretar a prisão dele. A determinação foi motivada por um pedido do Ministério Público da Bahia (MP-BA), que investigava o caso. 

Segundo o MP, as denúncias contra Thiago de Oliveira têm como base depoimentos e provas apresentadas por mais de dez alunos e alunas, que relataram crimes de assédio sexual, ameaças e lesões corporais. 

Segundo o órgão, o suspeito ainda é apontado pela prática de crimes contra a administração pública, como prevaricação e supressão de documentos públicos. Os detalhes dos crimes não foram divulgados. 

Thiago, que também atua como advogado, dá aulas na Uneb desde 2007. Ele já ocupou o cargo de coordenador do Colegiado de Direito do Campos IV, sediado em Jacobina, e lecionava também nas cidades baianas de Irecê e Itaberaba. Atualmente, segundo MP-BA, ele é procurador jurídico do Município de Morro do Chapéu.


Por G1 BA/Foto: Divulgação/MP. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário