sábado, 5 de janeiro de 2019

Ceará tem terceira noite seguida de ataques criminosos

O Ceará sofre uma onda de ataques criminosos que estariam sendo coordenados por facções do crime organizado em vários pontos de Fortaleza, e no interior do estado, na madrugada da sexta-feira (4) para sábado (5). 

Os ataques desta madrugada ocorreram após a chegada das tropas da Força Nacional, enviadas ao estado por autorização do ministro da Justiça, Sérgio Moro. 

Um Shopping que fica na Avenida Bezerra de Menezes, em Fortaleza foi atacada e pelo menos um carro que estava no local foi incendiado pelos criminosos, na sexta-feira. De acordo com o G1, as chamas foram controladas por funcionários do Shopping. LEIA MAIS

Já no Bairro Mucuripe, também em Fortaleza, dois veículos que estavam no pátio de uma concessionária foram incendiados. Segundo a polícia, os criminosos chegaram em uma rua lateral que dá acesso a concessionária e tentaram incendiar os veículos, o Corpo de Bombeiros foi chamado e conseguiu controlar o incêndio.

Nenhum suspeito foi preso até o momento, a polícia faz buscas na região para tentar identificar os responsáveis pelos ataques.

Ainda durante a sexta, um prédio localizado na Avenida Francisco Sá, na Barra do Ceará, foi incendiado. No local funcionava a antiga sede do Sine. O Corpo de Bombeiros foi acionado e conseguiu controlar as chamas e isolar o local. Os moradores vizinhos ao prédio chegaram a retirar os móveis e outros pertences de casa com medo do incêndio.

Responsáveis pelos ataques
O secretário Nacional de Segurança Pública, Guilherme Theophilo, afirmou que as ordens dos atos de violência no Ceará são emitidas de dentro dos presídios e têm ligação com brigas entre facções criminosas.

Fortaleza e cidades da região metropolitana sofreram com a segunda madrugada de ataques contra prédios públicos, agências bancárias e ônibus.

"Esse episódio também tem a ver [com brigas entre facções criminosas]. A ordem vem de dentro dos presídios", disse Theophilo, em entrevista nesta sexta (4).

Fonte: Notícia ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário