sábado, 23 de fevereiro de 2019

Vereador comemora morte de colega: ‘Vou fazer uma festa’; veja vídeo .

Após a confirmação da morte do vereador de Ananindeua Deivite Wener Araújo Galvão, conhecido como Gordo do Aurá, um outro vereador de Belém, Sargento Silvano, divulgou um vídeo nas suas redes sociais comentando o caso. Nas imagens, o sargento comemora a morte de Gordo do Aurá e faz ironias sobre o assassinato. 

“Tô de luto gente, estou muito abatido, morreu um ente muito amado pra mim, o Gordo do Aurá, que alegria! Pensou que eu tava chorando? Vá pro inferno, porque vagabundo tem que morrer!”, diz Silvano no vídeo.

Assista:
“Tô de luto gente, estou muito abatido, morreu um ente muito amado pra mim, o Gordo do Aurá, que alegria! Pensou que eu tava chorando? Vá pro inferno, porque vagabundo tem que morrer!”, diz Silvano no vídeo.

Em um outro momento, o sargento se diz feliz pelas famílias que foram vingadas pela morte do vereador de Ananindeua. ” Tenho 24 anos de polícia e nunca vi um vagabundo se dar bem, então já foi esse miserável, então que vá mais. Meus sentimentos às famílias que foram destruídas e seus filhos aprisionados. Hoje é dia da gente comemorar. Vou fazer uma festa!”, finaliza.

Em nota, a Câmara Municipal de Belém informou que o vídeo foi postado na rede social pessoal do sargento, portanto não representa o posicionamento da casa. A CMB também disse que se solidariza com os familiares e amigos do vereador de Ananindeua morto.

A assessoria do vereador Silvano informou que ele mantém o posicionamento gravado no vídeo, pois durante os seus 25 anos de PM ele chegou a realizar a prisão do então vereador Gordo do Aurá.

Morte

Gordo do Aurá estava com sua esposa na noite de quinta-feira (21), retornando para casa em um carro de transporte por aplicativo, quando foram surpreendidos por um grupo de homens em outro veículo que realizaram 17 disparos. o ataque aconteceu na avenida Pedro Miranda, bairro da Pedreira. A vítima e a esposa foram baleados e encaminhados para o Pronto Socorro da 14 de Março. O vereador acabou morrendo. A esposa foi transferida para o Hospital Metropolitano onde permanece internada em estado estável. O motorista de aplicativo não ficou ferido.

Prisões e atentados

Deivite Galvão foi eleito vereador de Ananindeua, região metropolitana de Belém, em 2012, pelo DEM, e reeleito em 2016 pelo mesmo partido.

Em 2013, ele foi alvo de um atentado. Quando chegava ao prédio da Câmara de Vereadores de Ananindeua, foi baleado por um motoqueiro armado, que fez vários disparos.

De acordo a Polícia Civil, o vereador responde por dois crimes: em 2006, foi apontado como suspeito de homicídio, e em 2011 foi preso por tráfico de drogas e associação ao tráfico, no distrito de Mosqueiro.

Em setembro de 2018, Devite foi preso por ligação com o tráfico de drogas e por integrar facção criminosa. A ação da Polícia que culminou na prisão do vereador ocorreu no residencial do “Programa Minha Casa, Minha Vida”, que à época havia sido ocupado há cerca de dois anos. De acordo com as investigações, o local servia como abrigo para foragidos e para gerenciamento do tráfico de drogas.

G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário