domingo, 26 de maio de 2019

Taxista faz apelo depois de ter o carro roubado na garagem de casa no Bairro São Luís, em Capim Grosso


Taxista há mais de 20 anos, o senhor Edivaldo, morador do Bairro São Luís, contou em participação ao JORNAL TRANSAMÉRICA COM ARNALDO SILVA, que no dia 24 de Abril, por volta de 5:30 da manhã, na garagem da sua casa, quando se preparava para sair para colocar o carro no ponto, um Fiat Pálio FLX, cor azul, placa, DCM – 1457, ano 2000, modelo 2001, foi surpreendido por dois homens, um deles armado, que foi logo pedindo o celular e a chave do carro. Sem resistir ao pedido seu Edivaldo entregou tanto o celular quanto a chave, mas não ficou apenas na entrega dos bens, eles ordenaram que seu Edivaldo entrasse no carro, que tomou rumo com destino a Feira de Santana; chegando em uma estrada vicinal na região de Gavião, o taxista pensou que seria morto, ao avistar outro carro, que estava no local. Leia mais

Seu Edivaldo foi liberado, sendo socorrido por um motociclista que passava no local, com destino a Gavião. Ao chegar na cidade, o mesmo veio de carona para Capim Grosso, com um caminhoneiro, para mais tarde prestar queixa na delegacia da cidade, sobre o ocorrido.
Feliz por não ter sido morto, ou até mesmo agredido, seu Edivaldo tem agora como sonho comprar outro carro para voltar ao trabalho, depois de viajar durante anos para Feira de Santana, Senhor do Bonfim, dentre outras cidades da região, o homem simples, de conversa boa, evangélico, dono de uma história muito bonita como trabalhador de um país que de fato não valoriza o seu povo, seu Edvaldo espera receber dos amigos ajuda que precisa para comprar outro carro. “O meu carro valia em torno de R$ 9 mil reais”, disse seu Edvaldo, que demonstrou tranquilidade diante de toda a situação descrita, mas no fundo, no fundo, apreensivo e triste com a falta do seu principal instrumento de trabalho. “Por não ser aposentado, meu carro era tudo que eu tinha para ganhar o meu trocado”, disse o homem que mesmo sendo roubado e com a vida em perigo, chegou a orar pelos ladrões que levaram seu carro. “Eu pedi a misericórdia de Deus para suas vidas”, contou o motorista de taxi, que estava atuando na linha Capim Grosso/Várzea da Roça.
Texto: Arnaldo Silva, DRT – 2805/BA. (A foto de seu Edvaldo não será postada por medida de segurança. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário