quinta-feira, 13 de junho de 2019

Quixabeira comemora 30 anos de Emancipação Política

Hoje nossa querida Quixabeira, completa 30 anos de emancipação política, algo muito importante para nosso município, pois marcou o início de uma nova era nos destinos da pacata comunidade quixabeirense. O nosso guerreiro Raulindo Rios, carinhosamente conhecido como "TIO RAU", entre outros não devem jamais serem esquecidos, pela incessante luta no propósito exitoso de nossa emancipação. 

Entretanto, é importante conhecermos a história de nossa Quixabeira, desde à criação do então povoado pela "louca idéia" do Saudoso Martinho Pereira Lima (segundo seu sogro Zé de Belau, im memorian).

VEJA ABAIXO UM RELATO SOBRE A HISTÓRIA DE QUIXABEIRA

Fundador de Quixabeira
Martinho P. Lima
Era o ano de 1943 quando o senhor Martinho Pereira Lima chamou alguns amigos e propôs a criação de um povoado numa região até então de Jacobina, conhecida como Lagoa das Quixabeiras, que ficava às margens da estrada que ligava São José do Jacuípe (até então pertencente à Capim Grosso) à Itapeipú (distrito de Jacobina), e que era propriedade de seu sogro José Sousa Novaes – ou Zé de Belau, como era conhecido. A estrada, que é anterior à construção da BR-324, era a rota de tropeiros, homens à cavalo que traziam mantimentos da região sul da Bahia.


Contrariado com a decisão do genro, o senhor Zé de Belau decidiu ir embora, deixando o caminho livre para que Martinho concretizasse suas ideias. Uma casa e um ponto de venda foram as primeiras construções do novo povoado. Logo em seguida mais pessoas foram construindo suas residências.

Em abril de 1943 foi realizada a primeira feira-livre, que contou com produtos básicos como carne, farinha, feijão, ovos e doces, além de chapéus, esteiras, cestos e também animais. A maioria desses mantimentos eram trazidos de Jacobina, município mais desenvolvido da região.

Em 1950, um senhor conhecido como Jove de Félix foi o primeiro morador de Quixabeira a possuir um automóvel. Pouco depois, o senhor Etelvino Carneiro também adquiriu um caminhão.

Em 23 de julho de 1962, Serrolândia é emancipada de Jacobina e o povoado de Quixabeira é anexado ao novo município.

No fim da década de 1970, Raulindo de Araujo Rios, vereador em Serrolândia, propôs a elevação de Quixabeira de povoado à distrito, o que foi consumado apenas em 1978.

Foi uma época de avanços. Com a instalação de um motor à diesel para geração de energia foi possível a aquisição do primeiro rádio pelo próprio Etelvino e mais tarde da primeira televisão, por Dalberto Lima, ainda em 1972. Foi nesta televisão, colocada em praça pública, que as pessoas do povoado puderam assistir a novela “Cavalo de Aço“, exibida pela Rede Globo em 1973.

À partir de 1980, vereadores e representantes da sociedade quixabeirense reivindicaram junto à Assembleia Legislativa da Bahia, a emancipação de Quixabeira.

Em 14 de junho de 1989, é publicada a lei estadual nº 5.019/89, sancionada pelo então governador Nilo Coelho, criando oficialmente o município de Quixabeira, desmembrando-se do município de Serrolândia.

Resultado de imagem para raulindo rios quixabeira
Raulindo Rios foi prefeito por três mandatos
Em 15 de novembro de 1989 acontece a primeira eleição municipal, onde Raulindo Araujo Rios, importante peça na luta pela emancipação, é eleito prefeito. Foram também eleitos nove vereadores: Edário Pereira de Sousa, Alcivan Perreira de Sousa, Francisco Ribeiro da Silva, Carlito Oliveira Ribeiro Rios, Genézio Novais de Sena, Elias Felix Oliveira, Juceli Barbosa de Oliveira, Joel dos Santos e Julio Sousa Silva. O primeiro mandato de prefeito foi de 1989 a 1991.

De 1992 a 1995, quem dirigiu o município foi Lídio Ribeiro. Raulindo Rios voltaria ao poder logo em seguida, e ali ficaria por dois mandatos (1996-1999 e 2000-2004). De 2005 a 2008, Quixabeira foi governada por Mário Alves de Lima. Seguido por dois mandatos consecutivos do ex-prefeito Eliezer Costa de Oliveira, que governou de 2009 até 2016. Atualmente o município é governado pelo prefeito Reginaldo Sampaio(2017-2020).

Blog do Ril de Beto

Nenhum comentário:

Postar um comentário