terça-feira, 27 de agosto de 2019

Após pesquisa, petista defende que grupo de Rui Costa tenha três candidaturas em Salvador

Após pesquisa, petista defende que grupo de Rui Costa tenha três candidaturas em Salvador
Foto: Max Haack / Bahia Notícias
Depois de o levantamento do Instituto Paraná Pesquisas mostrar que a pulverização pode favorecer o grupo do governador Rui Costa (PT) na disputa pelo Palácio Thomé de Souza em 2020 (veja aqui), o deputado estadual Robinson Almeida (PT) defendeu, nesta terça-feira (27), que a base petista tenha três candidaturas na briga por Salvador. Veja mais

Ao Bahia Notícias, o parlamentar afirmou que uma candidatura pode aglutinar os partidos de esquerda, como PT e PCdoB. Já a outra pode juntar as siglas mais de centro-direita, como PP e PSD. Já a terceira teria a presença dos novos partidos, como Avante e Podemos.

"A pesquisa confirmou que é viável essa estratégia. A base de Rui é diversa e cabe, pelo menos, três candidaturas. A gente pode ter mais de um candidato na base no primeiro turno e unificar todo mundo no segundo turno", declarou o deputado, em entrevista à reportagem.

A estratégia da pulverização foi adotada na campanha de 2016 pela base do governador Rui Costa. Na época, foram lançados Alice Portugal (PCdoB), Cláudio Silva (PP) e Pastor Sargento Isidório (Avante). Apesar disto, ACM Neto foi reeleito com mais de 70% dos votos válidos. Para Robinson, o cenário, desta vez, é diferente por dois motivos. O primeiro porque, naquela campanha, havia um candidato à reeleição. "Um candidato que vai para reeleição tem uma condição de aglutinação e unificação maior. Agora, na sucessão, ele tem dificuldade de unificar", observou. 

Outro item foi, segundo Robinson, que, naquela eleição, o PT e os partidos de esquerda foram “criminalizados” durante o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário