sábado, 26 de outubro de 2019

Bolsonaro confirma plano para tirar estabilidade de novo servidor

01
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) confirmou, ao chegar a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, que a reforma administrativa é a atual prioridade do governo depois da aprovação da nova Previdência. Ele afirmou também que o governo pretende tirar a estabilidade dos novos servidores a partir da aprovação da proposta. Leia mais 

“Não vamos buscar quebrar estabilidade de servidor [que já entrou]. A ideia é, depois da promulgação dessa PEC, caso ela venha a ser promulgada um dia, mudar essa forma de relacionamento”, afirmou durante a visita ao Monumento aos Mártires. Foi o primeiro compromisso oficial do presidente brasileiro no país árabe.

“A gente vê prefeituras, estados — a União nem tanto ultimamente — que exageram nas contratações. Não pode um prefeito ou um governador pegar um estado que foi inchado pela administração anterior”, justificou o presidente. E reafirmou: “Para os novos apenas. Não queremos causar um trauma junto aos servidores que, em grande parte, exercem um trabalho muito bom”.


Ainda na China, Jair Bolsonaro falou sobre o assunto. “A reforma administrativa está bastante avançada. Não haverá quebra de estabilidade para os atuais servidores. Quem entrar a partir da promulgação da PEC [proposta de emenda à Constituição], aí pode não haver estabilidade”, afirmou o presidente na sexta-feira (25/10/2019).

O chefe do Executivo brasileiro disse também que a equipe econômica busca acabar com a indexação dos salários, ao ser questionado se poderá haver mudanças nos valores dos salários e reajustes de servidores públicos para evitar possíveis disparidades.

“As pessoas falam tanto dos militares. Um aspirante começa ganhando em torno de R$ 6,5 mil bruto e, ao longo da carreira, vai havendo progressão. O que a equipe está estudando é acabar com indexações nessa área”, declarou.
Fonte: Metrópoles

Nenhum comentário:

Postar um comentário