sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Praias de Salvador tiveram 47 toneladas de óleo removidas

csm_16102019_macha_de_oleo_chega_na_Pituba_fc66fcc2c8
A situação das praias de Salvador, que estão sendo poluidas por manchas de óleo que vazaram no oceano, é grave. Só nesta quinta-feira (17), a Empresa de Limpeza Urbana (Limpurb) removeu 47 toneladas e 920 quilos da substância tóxica na capital baiana. Veja +

Se este número for somado às 23 toneladas e 580 quilos retirados na quarta-feira (16), Salvador já contabiliza um total 71,5 toneladas de material em uma semana, período desde quando as manchas começaram a surgir na cidade.

No total, são 405 agentes de limpeza envolvidos no processo de remoção, que contam com o apoio de 16 caminhões e três tratores. Além disso, grupos de voluntários organizam mutirões. 

Em Salvador, as praias atingidas foram as da Pituba, Jardim dos Namorados, Jardim de Alah, Boca do Rio, Stella Maris, Praia do Flamengo, Ipitanga, Piatã, Itapuã, Placarford, Amaralina, Ondina, Rio Vermelho e Barra. Nesta manhã, as primeiras pelotas de óleo começaram a ser vistas em Ondina e na praia do Farol da Barra.

Uma das que apresentou situação mais grave foi a praia da Pedra do Sal, em Itapuã. Além da grande quantidade de substância tóxica, o material surgiu na praia em estado líquido, o que dificultou a remoção. Uma ave da espécie Socó foi encontrada coberta de óleo. O animal foi resgatado e levado para o Instituto de Mamíferos Aquáticos (IMA), em Pituaçu, onde está recebendo cuidados de veterinários e biólogos.

Em Salvador, as praias atingidas foram as da Pituba, Jardim dos Namorados, Jardim de Alah, Boca do Rio, Stella Maris, Praia do Flamengo, Ipitanga, Piatã, Itapuã, Placarford, Amaralina, Ondina, Rio Vermelho e Barra. Nesta manhã, as primeiras pelotas de óleo começaram a ser vistas em Ondina e na praia do Farol da Barra.

Uma das que apresentou situação mais grave foi a praia da Pedra do Sal, em Itapuã. Além da grande quantidade de substância tóxica, o material surgiu na praia em estado líquido, o que dificultou a remoção. Uma ave da espécie Socó foi encontrada coberta de óleo. O animal foi resgatado e levado para o Instituto de Mamíferos Aquáticos (IMA), em Pituaçu, onde está recebendo cuidados de veterinários e biólogos.

Em todo o estado, já são nove os municípios afetados pelo material oleoso. A lista é composta por Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari, Mata de São João, Conde, Entre Rios, Esplanada, Jandaíra e Vera Cruz.

O último balanço divulgado pelo Governo do Estado informa que 155 tonaleadas já foram recolhidas em todo o estado, desde que a primeira mancha de óleo apareceu. Só em Lauro de Freiras, nas praias de Vilas.
Fonte: Correio 24h 
csm_oleoc_450354a78f

Nenhum comentário:

Postar um comentário