sábado, 19 de outubro de 2019

Secretária Gilvanda traz explicações sobre denúncias apresentadas por representantes da oposição de Quixabeira. “Já solicitei um relatório da empresa”, diz secretaria

A secretaria da educação de Quixabeira, a professora Gilvanda, acompanhada do prefeito Reginaldo e de Dida, do setor de comunicação da prefeitura, estiveram participando do JORNAL TRANSAMÉRICA COM ARNALDO SILVA, na terça-feira, 15 de Outubro, dia do professor, dia também marcado pela morte na Cachoeira Paulista, no município de Saúde, do jovem Breno Santos Anselmo, 20 anos, em um dos locais mais visitados na região. Pessoas que estavam presentes no local, de acordo com relatos publicados pelo Blog Ril de Beto, tentaram salvá-lo, mas não conseguiram. Morte essa que foi lamentada por ambos no programa. Leia mais

Quanto ao que foi relatado pelos vereadores e vereadores, na entrevista de quinta-feira, 10 de Outubro, a secretária respondeu que quanto as linhas citadas pelo vereador Ramon, por sinal bastante criticado pela secretária, está sendo solicitado um relatório da empresa e a partir daí será apresentada uma justificativa em torno do que está sendo cobrada pela bancada oposicionista. “Estamos solicitando um relatório à empresa e a partir desse relatório vamos nos pronunciar sobre o que está sendo citado pela oposição, lembrando que eles por não ter feito nada no período em que estiveram na prefeitura, se utilizam desses artifícios para tentar desestabilizar a nossa gestão, mas não vão conseguir e nem Gilvanda vai desistir do mandato por conta das denúncias”, colocou a secretaria.
Sobre o censo escolar a secretária citou que não é a primeira vez que a oposição entra com denúncias. “Já fizeram isso mais de uma vez e por sinal o INEP esteve presente e sabe o que foi constatado? Uma gestão de competência administrando a educação de Quixabeira, respondeu a secretaria com mais críticas ao grupo de vereadores.
Na entrevista do grupo de vereadores foi citado sobre valor do contrato com o transporte escolar: Para o vereador Ramon, os citados itens citados precisam de uma justificativa bem abalizada da gestão, tendo como exemplo o item 29, que roda com veículo do município, com citação ainda para o valor do contrato anual de R$ 1.620.000,00 (Um milhão, seiscentos e vinte mil reais). Na gestão de Eliezer, eles apresentaram denúncia, com base em um contrato de R$ 900 mil reais, com as mesmas quantidades de linhas e agora com valor muito acima do período do ex-reitor, qual será de fato a justificativa da gestão? “No meu entendimento caracteriza superfaturamento”, disparou o vereador.
Quem respondeu sobre o valor do contrato foi o prefeito, que permaneceu o tempo todo calado na entrevista, só no final que o mesmo se manifestou dizendo que estava esperando ele ser acionado para participar da entrevista, mas lembrando que ao abrir a entrevista, automaticamente, tanto o prefeito, quanto a secretaria poderiam fazer uso da entrevista, com foco nos pontos tratados na entrevista dos opositores ao grupo do prefeito Reginaldo. “O valor que está no contrato, se refere a todas as linhas, mas não quer dizer que está sendo pago esse valor. No geral, vem sendo pago em torno de R$ 1,100.000.000,00 (Um milhão e sem mil reais), mas como disse a secretaria, vamos solicitar relatório da empresa e se for constatado alguma irregularidade, quem vai exigir a correção sou eu, mas acredito que está tudo certo”, disse o prefeito Reginaldo.
A respeito do valor de R$ 15 mil reais, concernente à aplicação do diagnóstico, assim como outros valores apontados pela vereadora Có de Pequeno, que rompeu com o prefeito Reginaldo, no primeiro ano de mandato, alegando que não concordou com atitudes do prefeito em algum momento da gestão, bem como as colocações do vereador Leto, que também questionou o valor de R$ 15 mil reais, os quais solicitaram da gestão explicações sobre o citado valor, dentre outros valores. “Nesse contrato acredito que não tenha nada de irregularidade, tudo está dentro do processo licitatório, lembrando que em um contrato como esse é preciso contabilizar também o lucro da empresa e seus investimentos”, explicou a secretaria, com citação do mesmo fim, por parte do prefeito Reginaldo.
Em meio a citações, a secretaria Gilvanda, que fez praticamente dos 45 minutos, tempo utilizado pelos edis, teceu fortes críticas ao grupo, chegando a chamar de turma do atraso, com citações também para a sigla PT, que a secretaria, entende como sendo uma seita, por conta da paixão desenfreada de militantes, mas no entendimento da secretaria, não é dessa forma que a oposição, vai impedir o avanço da gestão de Reginaldo.
Por fim, os agradecimentos finais e a expectativa de apresentação do relatório, por parte de empresa responsável pelo transporte escolar, para gerar assim, uma explicação mais aguçada em torno das cobranças em tom de denúncia por parte da oposição.

Fonte: Repórter Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário