quarta-feira, 14 de julho de 2021

Bolsonaro chega a SP com obstrução intestinal, e médicos cogitam cirurgia ‘de emergência’

 

Foto divulgação


O presidente Jair Bolsonaro chegou por volta das 18h50 a São Paulo e foi encaminhado ao Hospital Vila Nova Star, para realização de exames, cujos resultados indicarão se há necessidade de procedimento cirúrgico ‘de emergência’. A informação foi confirmada em nota do Palácio do Planalto.

Exames realizados no Hospital das Forças Armadas constataram obstrução intestinal decorrente do atentado a faca sofrido por Bolsonaro em 2018. Bolsonaro foi levado na madrugada desta quarta para o HFA, em Brasília, após ter sentido dores no abdômen. Há mais de dez dias ele vinha reclamando de soluços persistentes.

“Após exames realizados no HFA [Hospital das Forças Armadas], em Brasília, o Dr. [Antonio Luiz de Vasconcellos] Macedo, médico responsável pelas cirurgias no abdômen do Presidente da República, decorrentes do atentado a faca ocorrido em 2018, constatou uma obstrução intestinal e resolveu levá-lo para São Paulo onde fará exames complementares para definição da necessidade, ou não, de uma cirurgia de emergência”, diz o comunicado da Secretaria Especial de Comunicação Social.

O médico Antônio Luiz Macedo, responsável por operar o presidente em 2018 após a facada, o acompanhou na viagem. Ele foi chamado às pressas para avaliar o presidente e viajou a Brasília após Bolsonaro dar entrada no Hospital das Forças Armadas na madrugada desta quarta-feira, 14, após sentir dores abdominais.

No Hospital das Forças Armadas, o presidente recebeu a visita de alguns ministros como Marcelo Queiroga, da Saúde, Paulo Guedes, da Economia, e Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional. Um grupo de cinco apoiadores do presidente também pendurou bandeiras do Brasil na entrada do hospital.

Em função dos problemas médicos de Bolsonaro, foi cancelada a reunião que estava marcada entre os presidentes dos Poderes Judiciário, Executivo e Legislativo prevista para esta quarta-feira, 14. O encontro com Arthur Lira (Câmara), Rodrigo Pacheco (Senado) e Luiz Fux (Supremo Tribunal Federal) será reagendado.

Após a confirmação de que seria transferido para São Paulo, Bolsonaro publicou, nas redes sociais, que encara “mais um desafio”, por causa da facada que levou de Adélio Bispo, em 2018, durante sua campanha eleitoral. Sem citar o nome do agressor, Bolsonaro voltou a politizar o ato que, segundo todas as investigações policiais, foram resultado de uma ação isolada.

“Mais um desafio, consequência da tentativa de assassinato promovida por antigo filiado ao PSOL, braço esquerdo do PT, para impedir a vitória de milhões de brasileiros que queriam mudanças para o Brasil. Um atentado cruel não só contra mim, mas contra a nossa democracia”, escreveu Bolsonaro.

"Peço a cada um que está lendo essa mensagem que jamais desista das nossas cores, dos nossos valores! Temos riquezas e um povo maravilhoso que nenhum país no mundo tem. Com honestidade, com honra e com Deus no coração é possível mudar a realidade do nosso Brasil. Assim seguirei!"

No texto, Bolsonaro afirmou que pretende seguir atuando para "tirar o país de vez das garras da corrupção, da inversão de valores, do crime organizado, e para garantir e proteger a liberdade" do povo.

Fonte: A Tarde

Nenhum comentário:

Postar um comentário